* Democracia neste país é relativa, mas corrupção é absoluta *

* Democracia neste país é relativa, mas corrupção é absoluta *
"PIMENTORIUM IN ANUS OUTREM REFRESCUS EST"

segunda-feira, abril 05, 2010

INTOLERÂNCIA RELIGIOSA – ROBINHO É UM BOCÓ


Por : Laerte Braga

Alastra-se pelo País afora um vírus perigoso e letal para a liberdade. O fundamentalismo religioso a partir de igrejas neopentecostais e justo num momento que a Igreja Católica se desmorona num amontoado de crimes e num papado eivado de equívocos – a começar do próprio papa –.

Sexta-feira santa o jogador Robinho e outros do Santos Futebol Clube instigaram companheiros de equipe a não entrar numa casa de amparo a crianças sob a alegação que a entidade era mantida por um Centro Espírita. Jornalistas presentes testemunharam Robinho falando em “casa que tem macumba”.

Robinho é só um bocó que sabe jogar futebol, mas não tem um pingo de caráter e enlameia as tradições de um clube tradicional (já teve Ulisses Guimarães como presidente), manifestando um preconceito do qual muitas vezes se queixou por ser negro e ter sido pobre.

Deve imaginar que virou branco agora que é rico. Não entendeu nada de nada e nem vai entender, pois foi cooptado pela quadrilha neopentecostal. Não é necessariamente um conjunto de muitas seitas, mas uma ação política deliberada e com propósitos claros de poder no Brasil e em países da América Latina, África, Ásia e que no dizer do quadrilheiro Edir Macedo pretende chegar aos países muçulmanos.

É um dos muitos “atletas de Deus” que fanatizado (é fácil fanatizar idiotas) não percebe o valor e o sentido do ecumenismo na sua essência. Transcende ao respeito, supera limitações estúpidas de pretensão da verdade absoluta, a religiões e se esconde na mediocridade e na infelicidade de não ser ninguém.

O futebol corre o risco, vem correndo faz tempo, tanto que manifestações dessa natureza – religiosas – foram proibidas dentro de campo, de vir a ser permeado por essa hipocrisia gerada a partir de quadrilhas travestidas de “emissários divinos”.

De repente você pode achar que minha crítica seja em si um preconceito contra neopentecostais. Não. Conheço pastores decentes. Mas a projetos políticos de grupos que se estendem a vários setores da sociedade dita organizada, inclusive através de um partido próprio, traz em si o germe da barbárie que se esconde no fanatismo.

E Robinho nem tão bom jogador assim é, nem tão sério ou responsável. Usou de artimanhas e artifícios para fugir do contrato com um clube inglês a pretexto de justificar uma péssima fase em sua carreira.

Como pessoa é só um bocó, um preconceituoso.

Não deve vestir a camisa da seleção brasileira. Não tem estatura para tanto.

Toda a sorte de preconceitos tem sido ressuscitados por grupos religiosos radicais. Ocupam canais de tevê, emissoras de rádio, se valem de cooptar figuras desprezíveis como o jogador Robinho (e outros), pregam a intolerância, como o episódio de sexta-feira santa. Ofendem e depreciam religiões outras. Atiram-se contra homossexuais e lésbicas – há inúmeros casos de pastores que molestam “fiéis, nem sempre em busca de dinheiro, mas de outras coisas também –.

Ser católico, por exemplo, é um direito legítimo consagrado em Constituição, mais que isso, questão de foro íntimo de cada um, ser ou não ser, ser espírita, umbandista, mas o preconceito, de onde quer que venha, a intolerância, o cinismo e o deboche são inaceitáveis, são crimes e ameaçam lançar o Brasil numa Idade Média e num prazo curto que, sem dúvida nenhuma, trará momentos de luta religiosa.

No Rio, hordas de fanáticos neopentecostais têm molestado e agredido umbandistas principalmente. Não diferem dos caras que assaltaram uma trabalhadora para roubar dinheiro e comprar drogas. Esse tipo de fanatismo é uma droga tão letal como cocaína ou crack.

Na verdade encobre apenas projetos políticos de gente como Edir Macedo, os pastores da Renascer, quadrilhas transformadas em “igrejas”.

A meu juízo a atitude de Robinho e dos jogadores dos Santos, a maioria deles, os exclui de vestir a camisa da seleção brasileira que, em síntese, gostando ou não de futebol, representa o esporte preferido dos brasileiros que não questionam se o futebol de Robinho é pentecostal ou não.

E mesmo se achando um Garrincha da vida (que nunca conseguirá ser, é um bocó. Um mau caráter) é um dos muitos e lamentáveis equívocos do futebol.

Não há nada que justifique a convocação de Robinho para a Copa do Mundo. Futebol por si só não é suficiente. É preciso ter grandeza, o mínimo. Ele não tem nenhuma.

Felizes os que estão abrigados na instituição espírita que Robinho não quis deixar seus companheiros visitarem. Deixaram de receber a influência de uma presença negativa em todos os sentidos.

Um episódio isolado? A marcha fanática dessas hordas é muito mais perigosa que se imagina. O Estado do Rio já foi vítima, por oito anos, dos saques do casal Garotinho.

E nem se trata de proibir um culto, uma fé. Mas de prender os bandidos que se valem do direito de ter fé, para propósitos e objetivos outros.

E esse não é o caso de Robinho. Robinho é só um infeliz, um bocó.Um pau mandado. Mas tem que ser punido.

Cabe a CBF – CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL – tomar a atitude necessária para que esse marginal do futebol seja excluído da seleção brasileira.


.........................................................

Aconteceu aquilo que eu sempre digo.

O pobre quando melhora de vida se põe a cagar na cabeça dos outros pobres.

Seja por arrogância, seja por deslumbramento, seja por religião, ou por falta de caráter mesmo.

Robinho, Neimar, e outros mostraram com todas as cores o quanto pensam serem melhores do que os meninos carentes da instituição que eles se recusaram a visitar.

Caridade não tem fé, e isso nem eles e nem muitos evangélicos cerebro-lavados ainda não entenderam.

Chico Xavier completaria 100 anos, suas lições de humildade e de solidariedade, se perpetuarão na humanidade, Robinho e outros, esses irão ser esquecidos assim que pararem de jogar futebol.

lembrem-se do exemplo do Haiti, a população de lá é quase que totalmente "macumbeira", e o mundo, seja Católico, Ortodoxo, Judeu, ou mesmo Evangélico foi solidário. E essa lição o Robinho e os outros idiotinhas cabeças de vento não aprenderam.

O pior preconceito não é o da cor, da raça ou da religião. O pior preconceito é o da intolerância imbecil que nivela todo mundo de acordo com aquilo que te fazem acreditar. E a igreja evangélica a qual pertence o jogador está mostrando que é preconceituosa contra quem não seja da "turma" dela.

Todos os caminhos levam à Deus, mas poucos os conhecem.


Share/Bookmark

9 comentários:

Claudio disse...

Olá. Infelizmente a questão da intolerância religiosa é muito séria, principalmente por parte de pequenas igrejas neopentecostais criadas da noite para o dia, verdadeiros deliveries do exorcismo. Esses supostos pastores fazem sim uma autêntica lavagem cerebral em seus seguidores, que se tornam pessoas intolerantes e preconceituosas.

Já sobre as declarações de Robinho, uma frase: porque não te calas, boleiro?

--
Claudio
http://burrisse.blogspot.com

Anônimo disse...

Então, leio seu blog diariamente e estou de acordo com muitos comentários postados. Nesse sobre intolerancia penso que cada um faz o que bem entender com suas atitudes. Acredito tambem que está em ascenção os pseudos pastores que fazem lavagem cerebral nos botucudos, mas como sempre escreve ai, eles aceitam tudo, porque o que vale é ganhar dinheiro no caso, da melhor forma possível, afinal esse é o país que o chefe mor nos ensina que devemos levar vantagem em tudo e sempre negar que os amigos fazem coisas erradas, etc. Espero que ainda possamos sair desse engodo e ter uma vida digna pelo menos com liberdade.

joelita ferreira disse...

Sou Negro,baiano e também não gosto de Macumba.Não sou hipócrita e não gosto de falar o que os outros gostam de ouvir.Gosto de falar a verdade,e fico feliz em agir assim.
Robinho deve sim jogar na Copa da África.Ele representa o futebol alegre e moderno do Brasil.Seria uma injustiça não leva-lo ao mundial,simplesmente pela sua inocente ignorancia religiosa.

Anônimo disse...

Queria saber como esse imbecil reagiria se fosse vítima de preconceito racial!!!

Anônimo disse...

O amigo que escreveu esse artigo ta abismado da vida, comentarios mais horriveis cara, respeita o que o jogador é, se vc é ateu ou atoa se liga, o cara tem o direito de ir e vir, duvido que se te chamassem pra ir na parada gay vc ía... então sussega!

"O Mascate" disse...

O, Bobão anônimo.
O cara tem do direito de ir e vir, ele só não tem o direito de se propor a fazer um ato de caridade e quando chega ao local desiste por conta de conflito religioso.
O tal Robocóbinho e seu grupo de dançarinas não entraram na entidade com a alegação mais estúpida, cretina e imbecil que um idiota como ele poderia dar.
Que a instituição por ser uma casa espírita é a casa do diabo.
Preferiram não entrar para ficar no ônibus tocando pagode.
O tal jogador foi tão malhado até pela própria torcida do Santos, que nesta semana que passou, ele e suas dançarinas foram à casa para dar uma "abafada" na situação que eles criaram por serem ignorantes..
Fazer caridade por obrigação, só para "limpar a barra" dele, mostra o quanto ele é bocó, e o quanto você é tonto que dá palpites em assuntos que não conhece.
Sobre a parada Gay devo informar que seu pai foi eleito a rainha deste ano!!!

Beócio.

Anônimo disse...

vamos, primeiramente, vai dizer que o Robinho não é bom jogador? Eu sei que ele errou, mas ele voltou ao local, não vltou? quem nunca errou que atire a 1ª a pedre!!!

E pra vc blogueiro, por caso vc é deus pra sair dizendo que não existem pastores fieis, vc é um baita "fariseu", só esvreve isso para ganhar leitores, amos cuidar das nossas própia vidas!!

O que aqui se faz aqui se paga!!

"O Mascate" disse...

Sr. Anônimo...como sempre...
Se o Bocózinho é bom jogador ou não, isso não me interessa nem um pouco.
Ele errou ou foi simplesmente arrogante?
Uma vez que o mudo dos babaquaras apaixonados por futebol se desmancham em salamaleques para qualquer cabeça de Bagre sem estudo e com pouco talento. Tornando-os semi deuses que se acham acima da bondade e da solidariedade.
Este blogueiro não é o dono da verdade, mas não é hipócrita para fazer de conta que a atitude dos jogadores foi uma "coisa normal" "um erro". FOI ARROGÂNCIA e muita IGNORÂNCIA.
E eles só voltaram ao Mensageiros da Luz, (casa que por sinal eu como cidadão Santista, ajudo com contribuições há mais de 10 anos)
porque a imprensa e a opinião pública desceram o cacete neles, e como dizem...A voz do povo, é a voz de Deus...portanto...

Por falar em pastores...faz-me-rir.
Não quero ganhar leitores, este é um espaço democrático, e vem quem quer.

Marco Túlio disse...

Olá, sou de pleno acordo no que diz respeito ao direito de escolha de religião. Cada um escolhe o que quer pra ter sua fé. Eu por exemplo não tenho nenhuma religião e optei por não ter religião exatamente por ver que nenhuma me dava a resposta do que eu queria saber. Cá entre nós, religião só existe para o controle da massa, porém o que foi exposto pelo colega não foi a religião e sim a imbecilidade de um jogador estrelinha. É da arrogância e narcizismo dele que foi falado, e entre tantas pessoas como robinho, eu ainda complementaria citando mais alguns como o bocó do pelé que se acha rei por que fanáticos o idolatram e se esquecem do quão imbecil e arrogante ele é. Um cara que ao menos teve a decência de ir ao enterro da filha que ele gerou e jamais reconheceu. São pessoas como ele e vc Anônimo que tornam este mundo mediocre e cada vez pior. Vermelho pra vc e pra todos os imbecis que atrasam o progresso da humanidade. Seu fanatismo por futebol impede vc de acompanhar por exemplo os trabalhos do deputado que vc votou. A explicação é simples, enche a cabeça de vento e não de preocupação com o desenvolvimento da humanidade.