* Democracia neste país é relativa, mas corrupção é absoluta *

* Democracia neste país é relativa, mas corrupção é absoluta *
"PIMENTORIUM IN ANUS OUTREM REFRESCUS EST"

sábado, dezembro 05, 2009

O filho do Brasil..... A grande pátria desimportante..

Recebido por E-Mail.
Uma leitura interessante.

LULA, O FILHO DO BRASIL

Chega-nos ao conhecimento mais uma demonstração de desequilíbrio psíquico do pífio representante da nação brasileira. A partir de sua ascensão, foram-se perdendo valores que cultivávamos como habituais normas de conduta. Essas mudanças são consequências das alteraçõe semânticas, aceitas pelos órgãos jornalísticos, hoje, também, pouco afeitos à limpidez das idéias. Tais alterações são produtos dos erros de raciocínio e da falta de intimidade vocabular, que a incontinência verbal do senhor feudal, pela repetição, torna-as vernaculares. Tudo isso, aliado à esperteza de um espírito pusilânime, tem o poder de corromper os alicerces de todos os poderes da República. Se a mentira passa à verdade; se o corrupto contumaz deve ser respeitado por não ser um homem comum; se uma organização terrorista, que inferniza os trabalhadores rurais, torna-se uma instituição lutadora em defesa dos direitos dos sem-terra, é transformar os antônimos negativos em palavras representativas de uma nova ética em curso.
Para que se consuma o novo dicionário da sordidez política brasileira, necessário se torna conhecer, a fundo, em todas as dimensões, o seu autor, personagem central de sua própria propaganda político-eleitoreira . O auto endeusamento torna-o réu confesso do desequilíbrio de que acima nos referimos. Considerar-se a si próprio Filho do Brasil, é exigir a legítima paternidade, a um país que já sofreu todos os vexames do filho que não passa de um bastardo. Como se não bastasse as ofensas de sua diplomacia, ofende-se mais ainda a nação, anunciando a sordidez de cobrar do país a herança que acredita ter direito e pretende obtê-la, através da delegação de poderes de seus iguais, nas urnas em 2010. É mais uma indenização cobrada a um país, considerado culpado pelo filho ilegítimo, pela tendência inata de sua família, de não ter vocação para o trabalho. O filme que ilustra a vida do responsável pela obra de estropiamento da língua, coincidentemente será levado à exibição em primeiro de janeiro de 2010.
Regredimos ao populismo desenfreado do brizolismo e percebemos, claramente, a existência de dois Brasis: o que trabalha e estuda para o desenvolvimento nacional e o que vive de estelionato político, sorvendo os impostos pagos pelo primeiro dos Brasis. Em toda imoralidade, encontra-se a logomarca da Globo, que não pode perder dividendos, mesmo que seja patrocinando um retorno aos filmes da velha fase macunaímica da miséria colorida. Não há outro digno representante deste (para mim) repugnante personagem da baixa estima brasileira, criação de Mário de Andrade, que o etílico Lula.
Alguém da escória da personagem do filme em questão deve ter sido o idealizador do título e da narrativa. O embriagado de álcool e de poder tomou posse do Brasil e está alijando, aos poucos, a parte consciente da sociedade, mas ainda sonolenta, para os esconsos vãos que se tornarão guetos dentro em pouco, se não tomarmos uma veemente atitude. Já imagino este filmeco sendo veiculado no agreste, nos sertões, arrebanhando os ingênuos e estimulando- os ao analfabetismo, à bebida e à rebelião. A pressão para um conflito entre brasileiros está se fazendo prenunciar no horizonte. Esta indecência de filme, se consentirmos, se não reagirmos, se não clamarmos contra a mídia que lhe dará vida, poderá servir de estopim para tomadas de posição sérias que não vão deixar de fora a guarda particular do ébrio presidente: o MST. Como dizem os traficantes do Rio, "está tudo dominado". Eles sabem o que dizem, infelizmente. Tudo está dominado, porque está corrompido pelo dinheiro fácil em troca da traição e da sabotagem. Apenas por patriotismo, sem levarmos nenhuma vantagem, porque pertencemos a outro grupamento ético, que não leu o glossário lulista, sabotemos o filmeco do palhaço de Garanhuns, desde já, para que, no ato da divulgação, caia no ridículo o Filho bastardo do Brasil, que bem poderia ser o Filho de outra coisa que já sabemos o que é. Embora não pareça, o caldeirão da divisão de classes já começou a esquentar. Como não tem a coragem de seu comparsa Chávez e é um poltrão como o Zelaya, usa desses artifícios ultrapassados, mas que caem como uma luva sobre a multidão de ignorantes do interior do país.
..................
Aileda de Mattos Oliveira
Prof.ª Dr.ª de Língua Portuguesa
Universidade Federal do Rio de Janeiro


Share/Bookmark

2 comentários:

Rafael Mendes disse...

Estou de acordo com o Governo Lula, e tenho ciência de que se fosse outro presidente neste momento de crise, nosso país estaria em uma profunda recessão, com recorde de desemprego, congelamento de salários e principalmente aumento da pobreza.
Aqui em Belém do Pará são notáveis os projetos de desenvolvimento promovidos pelos governos estadual e federal, talvez em sua região, tais desenvolvimentos não sejam visíveis, pois muitas das mudanças em nossa região não dependem único e exclusivamente do poder federal, mas também do compromisso dos governantes das esferas estadual e municipal.

"O Mascate" disse...

Rafael.
Tem ciência, ou bola de cristal?
Dizer que tem certeza que se fosse em outro governo estaríamos em profunda recessão é um pouco demais.
O aumento da pobreza está diretamente ligado à cidadania, hoje temos uma legião de ignorantes, desempregados, sem dentes, sem saúde, mas de barriga cheia, né?
E a cidadania?
Emprego, educação, saúde, segurança, isso não interessa? Não faz parte do pacote que leva um povo sair da pobreza?
Ou na sua visão o que importa é ver esse povo de barriga cheia e título de eleitor na mão votando no Babalorixá?
Meu caro, o que precisamos é construir uma nação, um povo com esperança por dias melhores, um povo que saiba pensar e votar, que não se venda a troco de bolsa esmola.
E neste governo assim como nos outros que por aqui passaram nada foi feito.
Só que este governo tem o agravante de ter sido eleito como o voto da esperança, aquele que iria dar um jeito no Brasil. E o que vimos?
Safadezas, roubalheiras, corrupção, desvios, ladroagem, apadrinhamentos, e muito aparelhamento. Não foi para isso que o povo elegeu o Babalorixá. Só que ele assim como todos os seus cúmplices se esqueceram disso.
Agora, na minha região não veremos obras de desenvolvimento pois, primeiro o governador aqui é de oposição, portanto SP não faz parte do Brasil na visão dos PTralhas.
Segundo, estamos justamente onde o desenvolvimento e infra estrutura são justmente os que levam o dinheiro para obras nos estados mais pobres do país, trabalhamos para sustentar todos os que viveram e vivem de festas e de bolsas.
E na sua região o desenvolvimento aparente faz parte o pacote do BNDES que está investindo apenas nos estados governados por PTralhas.
Ou seja, CURRAL eleitoral gritante e escancarado.
E para sua informação, o Brasil foi descoberto em 1500 e não em 2001, já existiam todos os empresários e industriais que levam este país nas costas bem antes do Babalorixá ser eleito, ele conseguiu bagunçar um bocado a economia do país nos tempos de sindicalista com suas greves. E hoje, se tem dinheiro em caixa, não foi por obra e graça dele, foram alguns anos de trabalho duro de alguns políticos inteligentes, algumas privatizações indispensáveis e muito suor do empresariado brasileiro.