* Democracia neste país é relativa, mas corrupção é absoluta *

* Democracia neste país é relativa, mas corrupção é absoluta *
"PIMENTORIUM IN ANUS OUTREM REFRESCUS EST"

sábado, maio 09, 2009

Por onde andam?

Após aquela última pesquisa que dava uma "despencada" na popularidade do Batráquio em quase 10%, o que será que aconteceu com os institutos e os encomendadores de pesquisa oficiais do governo?
Foi só dar uma queda que pararam de fazer pesquisas?
Mas a popularidade do batráquio não era de 7.844%?

Mais uma prova que pesquisa no Brasil não é séria.

Share/Bookmark

6 comentários:

Laguardia disse...

Esta pesquisa da CNT Sensus é encomendada por Clésio Andrade, presidente da CNT e amigão do Batr´qauio. Portanto....

Pernambuco disse...

NOVO SALÁRIO MÍNIMO BENEFICIA 42 MILHÕES DE BRASILEIROS
O novo salário mínimo de R$ 465 que passa a vigorar a partir do 1º de fevereiro vai beneficiar direta e indiretamente 42 milhões de brasileiros, entre trabalhadores formais e informais (cerca de 25 milhões) e pensionistas (aproximadamente 17,8 milhões). Segundo o ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, que anunciou o reajuste nesta sexta-feira (30), a medida vai injetar R$ 23,1 bilhões no mercado interno durante o ano de 2009, mantendo a geração de empregos forte mesmo diante da crise financeira internacional.
"Serão R$ 50 a mais, todos os meses, para o consumo da base da pirâmide social, estimulando a produção e os empregos", disse Lupi. "A geração de emprego em janeiro e fevereiro deve permanecer um pouco abaixo da média, mas com essa e outras medidas que o Governo vai anunciar em breve, o emprego volta a crescer em março, com força", analisou.
O Diário Oficial da União publica ainda nesta sexta-feira (30), em edição extra, a medida provisória assinada pelo presidente Lula autorizando o aumento de R$ 50 sobre o valor de R$ 415, em vigor atualmente. O reajuste nominal de 12,05% garante ao trabalhador um aumento real de 6,39%. Desde o início do Governo Lula, em 2003, o reajuste do salário mínimo chega a 72%, com aumento real acumulado de 46,05%.
"O cálculo do reajuste leva em conta a inflação e o aumento do Produto Interno Bruto. É um mecanismo inteligente que garante que o trabalhador também seja beneficiado com o crescimento da economia", avaliou o ministro.
Lupi afirmou que os valores do abono salarial e do seguro-desemprego também serão reajustados a partir de primeiro de fevereiro. Com o aumento, os dois benefícios vão fazer circular um total de R$ 24,3 bilhões na economia em 2009.
Seguro emprego
Após o anúncio do novo salário mínimo, Lupi adiantou aos jornalistas que sua equipe está concluindo a proposta de criação de novo mecanismo contra a crise - um incentivo para que as empresas evitem demissões.
"O seguro-desemprego tem um impacto muito positivo para a economia, mas queremos avançar ainda mais, criando um mecanismo de prevenção, que consiga evitar a demissão. Uma espécie de seguro-emprego", explicou, ressaltando que o projeto ainda não foi apresentado à Presidência da República. Lupi também garantiu que o novo mecanismo não tem como objetivo substituir o seguro-desemprego.
O ministro afirmou ainda que também está negociando com o Fundo de Amparo ao Trabalhador e o Banco do Brasil medidas para ajudar as revendedoras de carros usados, que tiveram suas vendas prejudicadas com a redução dos Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para os carros zero quilômetro. Entre as propostas estão novas linhas de crédito e redução de juros para o financiamento de veículos, além de capital de giro para as empresas.

Fernando disse...

Enquanto isso os aposentados continuam ganhando salário de referência.
E sobre um comentário anterior que alguém falou que o aumento do salário mínimo poderia quebrar a previdência. Só um aviso, aposentado não recebe salário minimo, recebe salário de referência, portanto podem aumentar o mínimo para 1.000 que o aposentado vai continuar na mesma.
É muia má fé e falta de informação desse povo.

Maracanã disse...

YEDA RESPIRA POR INSTRUMENTOS
Podridão do governo gaúcho vem à tona e deixa governadora tucana com o pé na cova.
Desta vez, não é "coisa do PT". As revelações sobre as bandalheiras de Yeda Crusius - desde antes e durante seu governo - estão na edição desta semana da revista Veja que, como sabemos, é um dos house organs do PSDB. Sujeira tão grossa, que ficou impossível ser varrida para baixo do tapete (talvez a RBS tente um boca-a-boca em troca de uns pilas a mais na conta da "agenda positiva"...).

A reportagem completa está disponível apenas na versão impressa, mas só o tira-gosto da edição digital já é suficiente para mandar a tresloucada para a UTI. É o fim da linha para as empulhações e para o autoritarismo de Madame Zureta.

Enquanto preparamos a mortalha, confira trecho da matéria:

"VEJA teve acesso a gravações em que o ex-assessor da governadora gaúcha Yeda Crusius (PSDB) Marcelo Cavalcante, morto em fevereiro, relata uma série de irregularidades na campanha e no governo da tucana. A reportagem ouviu 1h30m das 10 horas de diálogos mantidos entre Marcelo e o empresário Lair Ferst, um dos acusados de participar dos desvios no Detran gaúcho. Neles, fica claro que o ex-assessor conversava com liberdade com Ferst, que o havia ajudado informalmente a arrecadar dinheiro para a campanha da governadora.

Yeda Crusius não tem sossego. Enfrenta acusações de ter usado caixa dois em sua campanha eleitoral desde antes de tomar posse, em janeiro de 2007. Como se não bastasse, em meados do ano passado, a Polícia Federal desbaratou uma máfia que desviava recursos do Detran gaúcho. Relacionados ao esquema estavam três secretários de governo e Marcelo Cavalcante, o chefe da representação do Rio Grande do Sul em Brasília. Todos tiveram de deixar seus cargos. Em fevereiro passado, a morte repentina de Cavalcante injetou uma dose de tragédia nas agruras do governo tucano. O corpo do ex-assessor foi encontrado boiando no Lago Paranoá, em Brasília.

As investigações policiais indicam que ele se suicidou. Chefe de gabinete de Yeda entre 2002 e 2006 e coordenador de sua campanha eleitoral, Marcelo conhecia o PSDB gaúcho na intimidade. Com seu desaparecimento, parecia ter se perdido uma das mais acuradas memórias da campanha e dos primeiros dias do governo Yeda. Era uma presunção falsa. Apenas um mês depois da morte de Marcelo, descobriu-se que o Ministério Público Federal dispunha das tais gravações. VEJA teve acesso a parte desses áudios.

Trechos - De acordo com Marcelo, Yeda recebeu dinheiro no caixa dois depois que a eleição terminou. Ele conta que, depois do segundo turno, coletou 200.000 reais da Alliance One e outros 200.000 reais da CTA Continental. São duas fabricantes de cigarro que, segundo Marcelo, fizeram as doações em espécie. O ex-assessor diz que entregou esse dinheiro a Carlos Crusius, marido da governadora. Procurados por VEJA, os executivos da Alliance One negaram ter abastecido qualquer caixa dois e mostraram um recibo que comprova a transferência bancária de 200.000 reais para o diretório estadual do PSDB. Já a CTA Continental contesta ter feito qualquer doação à tucana. "Se me perguntar se me pediram dinheiro, digo que sim. Mas não levaram", diz Allan Kardec Bichinho, presidente da empresa.

O ex-assessor diz que avisou Yeda sobre o esquema de corrupção no Detran gaúcho e conta ter entregado à governadora uma carta de oito páginas na qual o empresário Lair Ferst descrevia o modo como os recursos eram desviados da repartição oficial. Ferst escreveu essa carta para tentar livrar-se da suspeita de envolvimento no esquema.

Revelação - A reportagem de VEJA teve acesso a esses áudios há 40 dias. Só os divulga agora depois de encontrar uma fonte com credenciais suficientes para comprovar sua autenticidade. Ela é uma testemunha que também ouviu as gravações e assegura que Marcelo reconhecia como legítimo o seu conteúdo. Mais: o ex-assessor lhe relatou os mesmos fatos. Essa testemunha, Magda Koegnikan, foi companheira de Marcelo. Dona de uma revista brasiliense, a Sras. e Srs., Magda relutou em revelar o que sabia. Ela temia perder o apoio financeiro para sua revista por parte de governos aliados de Yeda. Magda diz que decidiu correr esse risco em nome da memória do homem com quem viveu por quinze meses. Em cinco horas e meia de entrevista a VEJA, contou que Marcelo soube da existência dos áudios, gravados por Lair Ferst, em novembro de 2007. "Lair lhe mostrou as gravações e disse que as entregaria às autoridades para provar que os responsáveis pelos desvios no Detran eram integrantes do governo Yeda, e não ele", lembra Magda. Ao ouvir isso, seu companheiro se desesperou: "Ele entrou em depressão e passou a beber."

Leia a reportagem completa em VEJA desta semana."

Pois é, O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) absolveu o deputado federal José Genoino (PT-SP), o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares e o publicitário Marcos Valério Fernandes de Souza da acusação de gestão fraudulenta pelo placar de 5 votos a 3. A informação é da Agência Estado.

A decisão do STF não me surpreende. A mídia criou a molecagem do “mensalão” para destruir o PT e ataca o governo. O que havia era caixa 2 de campanha eleitoral, expediente usado por TODOS. Quem disser que não usou caixa 2 está mentindo.

A linguagem da Agência Estado mudou bastante. Vejam o texto: “O crime teria sido cometido num suposto empréstimo concedido ao PT pelo banco BMG, que teria sido avalizado por Delúbio.”

Os ministros da Corte entenderam que o crime de gestão fraudulenta somente pode ser imputado aos gestores do banco, no caso, o BMG, não aos tomadores do empréstimo. A partir de agora, eles ainda são acusados de falsidade ideológica. Na principal ação penal do mensalão, Delúbio também responde por corrupção ativa e formação de quadrilha. É tudo uma imensa palhaçada.

Durante o julgamento, a defesa de Delúbio sustentou que seu cliente "nunca foi coisa alguma do BMG". "Quem pede o empréstimo não tem a gestão", explicou o relator do pedido julgado hoje pelo STF, ministro Marco Aurélio Mello. "No caso, a acusação é de que teria havido falsificação de documento para obtenção de empréstimo. Vão responder por falsidade ideológica", disse o ministro, acrescentando que o tribunal manteve a acusação por esse crime. Segundo Marco Aurélio, na denúncia havia uma "generalização extravagante". O ministro acrescentou que o direito penal não admite que uma pessoa responda dois processos pelo mesmo delito.

A mídia faz denúncias, difícil é provar. Delúbio um dia ainda vai ser indenizado por danos morais.

E o Brasil segue varrendo o lixo que antes iria para debaixo do tapete...

Anônimo disse...

A governadora pode sair dessa usando o método Lulla de caradura, é só dizer que não sabia de nada que tá liberada.

Laguardia disse...

Pô Fernando será que estes petralhas não têm idéia própria? Só sabem copiar coisas da internet? É bem verdade que eles só tem cabeça para separar as orelhas e usar boneé do MST.

Este tal de Pernambuco ainda copia bobagem. Se é emprego informal não tem nem geito de se saber se ganham salário mínimo ou não, é por isto que se chama informal. O cara não pensa.

As estatísitcas do Ministério do Trabalho tem mostrado que o desemprego está aumentando.

Como você disse, aposentados como eu não recebem os aumentos do salário mínimo, são sempre inferiores.

E o tal de Maracanã. Também não tem idéia própria? Pode meter o cacete na Yeda que ela merece, mas faça com suas próprias palavras.

Tá vendo Fernando o tipo de gente que apoio o Lula. Tá vendo a qualidade do ensino no Brasil que não ensina as pessoas a pensarem.

PQP três vezes. Desculpe o desabafo no seu blog. Pode descontar no meu.