* Democracia neste país é relativa, mas corrupção é absoluta *

* Democracia neste país é relativa, mas corrupção é absoluta *
"PIMENTORIUM IN ANUS OUTREM REFRESCUS EST"

quinta-feira, março 12, 2009

Indignação é pouco.

Recebi e repasso para vocês.

Este país não passa mesmo de uma MERDA!!!!


DESABAFO DE UM EMPRESÁRIO DE SÃO LEOPOLDO

Silvino Geremia é empresário em São Leopoldo , Estado do Rio Grande do Sul.

Eis o seu desabafo:

"Acabo de descobrir mais um desses absurdos que só servem para atrasar a vida das pessoas que tocam e fazem este país: investir em educação é contra a lei .

Vocês não acreditam?

Minha empresa, a Geremia, tem 25 anos e fabrica equipamentos para extração de petróleo, um ramo que exige tecnologia de ponta e muita pesquisa.

Disputamos cada pedacinho do mercado com países fortes, como os Estados Unidos e o Canadá.

Só dá para ser competitivo se eu tiver pessoas qualificadas trabalhando comigo.

Com essa preocupação criei, em 1988, um programa que custeia a educação em todos os níveis para qualquer funcionário, seja ele um varredor ou um técnico.

Este ano, um fiscal do INSS visitou a empresa e entendeu que educação é salário indireto.

Exigiu o recolhimento da contribuição social sobre os valores que pagamos aos estabelecimentos de ensino freqüentados por nossos funcionários, acrescidos de juros de mora e multa pelo não recolhimento ao INSS.

Tenho que pagar 26 mil reais à Previdência por promover a educação dos meus funcionários?

Eu acho que não.

Por isso recorri à Justiça.

Não é pelo valor, é porque acho essa tributação um atentado.

Estou revoltado.

Vou continuar não recolhendo um centavo ao INSS, mesmo que eu seja multado 1000 vezes.

O Estado brasileiro está falido.

Mais da metade das crianças que iniciam a 1 ª série não conclui o ciclo básico.

A Constituição diz que educação é direito do cidadão e dever do Estado.

E quem é o Estado?

Somos todos nós.

Se a União não tem recursos e eu tenho, acho que devo pagar a escola dos meus funcionários.

Tudo bem, não estou cobrando nada do Estado.

Mas também não aceito que o Estado me penalize por fazer o que ele não faz. Se a moda pega, empresas que proporcionam cada vez mais benefícios vão recuar.

Não temos mais tempo a perder.

As leis retrógradas, ultrapassadas e em total descompasso com a realidade devem ser revogadas.

A legislação e a mentalidade dos nossos homens públicos devem adequar-se aos novos tempos.

Por favor, deixem quem está fazendo alguma coisa trabalhar em paz.

Vão cobrar de quem desvia dinheiro, de quem sonega impostos, de quem rouba a Previdência, de quem contrata mão-de-obra fria, sem registro algum.

Sou filho de família pobre, de pequenos agricultores, e não tive muito estudo.

Completei o 1º grau aos 22 anos e, com dinheiro ganho no meu primeiro emprego, numa indústria de Bento Gonçalves, na serra gaúcha, paguei uma escola técnica de eletromecânica.

Cheguei a fazer vestibular e entrar na faculdade, mas nunca terminei o curso de Engenharia Mecânica por falta de tempo. Eu precisava fazer minha empresa crescer.

Até hoje me emociono quando vejo alguém se formar.

Quis fazer com meus empregados o que gostaria que tivessem feito comigo.

A cada ano cresce o valor que invisto em educação porque muitos

funcionários já estão chegando à Universidade.

O fiscal do INSS acredita que estou sujeito a ações judiciais.

Segundo ele, algum empregado que não receba os valores para educação poderá reclamar uma equiparação salarial com o colega que recebe.

Nunca, desde que existe o programa, um funcionário meu entrou na Justiça. Todos sabem que estudar é uma opção daqueles que têm vontade de crescer...

E quem tem esse sonho pode realizá-lo porque a empresa oferece essa oportunidade.

O empregado pode estudar o que quiser, mesmo que seja Filosofia, que não teria qualquer aproveitamento prático na Geremia.

No mínimo, ele trabalhará mais feliz.

Meu sonho de consumo sempre foi uma Mercedes-Benz.

Adiei sua realização várias vezes porque, como cidadão consciente do meu dever social, quis usar meu dinheiro para fazer alguma coisa pelos meus 280 empregados.

Com os valores que gastei no ano passado na educação deles, eu poderia ter comprado duas Mercedes.

Teria mandado dinheiro para fora do país e não estaria me incomodando com leis absurdas .

Mas não consigo fazer isso.

Sou um teimoso.

No momento em que o modelo de Estado que faz tudo está sendo questionado, cabe uma outra pergunta.

Quem vai fazer no seu lugar?

Até agora, tem sido a iniciativa privada.

Não conheço, felizmente, muitas empresas que tenham recebido o tratamento que a Geremia recebeu da Previdência por fazer o que é dever do Estado.

As que foram punidas preferiram se calar e, simplesmente, abandonar seus programas educacionais.

Com esse alerta temo desestimular os que ainda não pagam os estudos de seus funcionários.

Não é o meu objetivo.

Eu, pelo menos, continuarei ousando ser empresário, a despeito de eventuais crises, e não vou parar de investir no meu patrimônio mais precioso: as pessoas.

Eu sou mesmo teimoso."

Silvino Geremia

Diretor Presidente.

Sem comentários.


Share/Bookmark

9 comentários:

Marquer disse...

Recebemos muita coisa por mail, e quase sempre de conteúdo duvidoso...Fernando, nao sei se isto e verdade, mas supondo que seja vero...

Me alerta ver a seguinte frase: "Por favor, deixem quem está fazendo alguma coisa trabalhar em paz. "

Como um empresario Brasileiro não majou que este fiscal não passa de um marginal atrás de propina? E como um juiz não vê coisa tão clara em tentativa de extorção?

Mas, o mais grave é que, como um homem maduro e experimentado, que se atreve a ser um empresário em um País de incompetentes, pede "por favro" a um direito que lhe assite, ou seja, o de cuidar do bem estar dos empregados???

Ou é muito ingenuo, o que não casa com a cabeça de um empresário, ou é justamente o espelho da frouxidão deste povo, onde um empresário deste, deveria reunir todos os seus funcionários e embarreirar uma via importante, cobrando via televisão, honestidade dos governantes!!


Pedir "por favor"??? Pelo amor de Deus!!!

Deveria identificar o nome deste fiscal em rede nacional, e isso seria o mínimo a ser feito!sc

O cobrador disse...

Eu acho que o fiscal quer uma grana ou sejá uma propina?
É um absurdo Brasil!
Manda o nome do fiscal para o ministério público para investigar este ladrão.

Otorrino de quê? disse...

Tal qual o Marquer, eu não sei se a informação é verídica. Mas, pela experiência que tive como empresário, ela parece ter consistência nos acontecimentos. Recebi ha algum tempo atrás a visita de dois fiscais do governo que tinham como missão aferir balanças.´Eles representavam o Imetro. Pensava eu que fosse uma visita apenas de levantamento do número de balanças usado na empresa e ingenuamente permiti a entrada de ambos.
Logo depois eles me apresentaram uma fatura, produzida na hora em um computador com impressora no valor aproximado de R$ 200,00 pagável no Banrisul. De acordo com os ditos cujos, o uso de balança está sujeito à taxa, pois exige que tenham fiscais em sua aferição. E mais, que as duas balanças que eu usava estavam com pequeno erro de leitura e que eu tinha que providenciar em algo como duas semanas. Esclareci a ambos que a empresa compra e vende material processado em metros quadrados e que, portanto, as balanças eram usadas tão somente para a produção de produtos químicos - adesivo no caso - e que não tinham qualquer efeito no preço que cobrava. Inútil. De acordo com os nobres fiscais, se tem balança, tem que estar aferida e com o lacre fiscal. Sabiam disso?
Um colega empresário, que também comercializa em metros, eliminou toda e qualquer balança de sua empresa, pois ter que pagar uma taxa anual e estar sujeito à multa por distorção no peso é demais para quem estabelece valor em metro. Suponho que logo estaremos com os fiscais à procura de todo e qualquer instrumento de medida, pois que aumentar a arrecadação é uma obsessão para os nossos governantes. Ainda bem que os empresários não precisam se preocupar com a assistência médica de seus funcionários graças ao eficiente sistema de saúde, não precisam se preocupar com a segurança, com o tranporte, com a alimentação, e tantos outros serviços que são prestados com eficácia pelo Estado. Verdade ou mentira a informação do empresário da Geremia? Para quem é empresário nesse país, é bem provável que seja verdade.

Faz-me-rir... disse...

Do jeito em que as coisas estão andando em breve o governo federal irá enviar as declarações de imposto de renda para os contribuintes apenas assinarem e pagarem.
Estão controlando nossas vidas via bancos, cartões, salários e agora com as tais notas fiscais paulistas. O povo virou fiscal do governo e trabalhando de graça!!!
O contribuinte otário vive de pedir notas na esperança de ser "premiado" no show do milhão que virou a secretária da fazenda dos estados. Se pedir nota fiscal fosse algo sério não seriam necessárias campanhas e nem sorteios. Eles apenas querem arrecadar cada vez mais e distribuir cada vez menos.
Vejam Brasília, todo dia tem uma novidade em matéria de desvio de recursos públicos, e o povão vai aceitando passivamente e pede nota alegando que é um exercício de cidadania. santa ingenuidade....

Celso disse...

Não surpreende.
Afinal, se pensarmos um pouco, o que esse desgoverno brasileiro quer, mesmo, é ausência de cultura e educação...
À medida que o povo brasileiro se informar melhor não haverá espaço para as "maracutaias", para as aloprações e para as infindáveis sacanagens que vemos hoje, "comonuncantesnessepais"

Pan disse...

Olá Fernando,
Eu repassei esse mail pra um amigo de Nova Friburgo,que é vizinha da cidade onde está sediada a Geremia e segundo ele é verdadeiro o desabafo deste senhor.Talvez um desabafo pra q mais pessoas vissem e se mobilizassem,mas a questão é: o povão q vota nesse Lula e sua corja é ignorante e nem sequer chega perto das informações e se chega,não lê porque tem preguiça ou não entende o significado das coisas.Ele vai direto ver o q vai acontecer nas novelas ou no BBB.
Outra novidade pra arrancar dinheiro do contribuinte já masssacrado pelos impostos sem retorno é a da Receita Federal que passou a contar com o T-Rex, um supercomputador que leva o nome do devastador Tiranossauro Rex, e o software Harpia, ave de rapina mais poderosa do país, que teria até a capacidade de aprender com o 'comportamento' dos contribuintes para "detectar irregularidades" no IR.
Só uma curiosidade: As Hárpias são seres mitológicos gregos. São três monstros, representados com cabeça de mulher e corpo de ave de rapina.
Segundo a tradição antiga, costumam pousar nas casas de quem está par morrer e ser levado aos Infernos!(literalmente nos levarão!)
Em grego, hárpias significa LADRAS ! São as provedoras de almas para o Inferno! Ladras de almas!
Depois do LEÃO, as HÁRPIAS e o TIRANOSSAURO REX ! Que escolhas infelizes! Pobre de nós, brasileiros...
Beijos e até a próxima!

Laguardia disse...

Meus Amigos

Trabalhei mais de 35 anos na área de Recursos Humanos e sei que isto é verdade. Tudo que você dá de graça para o funcionário, alimentação, estudo, habitação seja lá o que for é considerado salário indireto e portanto tributável. Até assistencia médica se for gratis integra ao salário.

E não é só o INSS, o empregado pode pedir o FGTS, 13º etc. sobre este valor.

A única forma de se safar desta é cobrar alguma coisa do funcionário pelo benefício, e ainda assim se corre risco.

Conheço uma empresa que resolveu o problema através de uma associação de funcionários, sem fins lucrativos. Ela doa o dinheiro e a associação paga a escola, assistência médica seja lá o que for.

Na verdade é um absurdo. Se ao menso o dinheiro fosse aplicado em benefícios, mas não é, é roubado por esta corja que tomou o Palácio do Planalto de assalto.

Bob Jeff disse...

O Desabafo é verdadeiro, só que ocorreu há 16 anos...no governo de quem?? o grande líder varonil FHC.

O Mascate disse...

Bob Jeff, Eu hein? Você usa o apelido do Roberto Jefferson?
Que falta de gosto!!!!
Bem, aqui eu não disse em momento algum sobre o governo do Grande Lider Batráquio da Silva.
O desabafo é verdadeiro e após esse empresário mostrar ao Brasil sua indignação, mudaram-se algumas leis e moralizaram esse descalabro acabando com o pagamento de INSS sobre benefícios que uma empresa por vontade própria proporcionava a seus funcionários.
Se foi no governo do FHC ou no de Floriano Peixoto, não importa, o que realmente importa é fazer o Brasil um país decente, e não vejo esse caminho sendo trilhado pelo nosso Minúsculo Timoneiro Batráquio da Silva.
Não se iluda acreditando que eu seja favorável à este ou aquele governo, eu quero é um país sério e com leis bem feitas que proporcionem bem estar e justiça para todos. Infelizmente com esse povinho de merda e com políticos bandidos que estão infestando o país, independente de partidos, fica impossível conseguirmos alguns avanços democráticos ou sérios..
Muita coisa precisa mudar, e esse empresário conseguiu fazer a parte dele. Agora está faltando muitos de nós fazermos as nossas.