* Democracia neste país é relativa, mas corrupção é absoluta *

* Democracia neste país é relativa, mas corrupção é absoluta *
"PIMENTORIUM IN ANUS OUTREM REFRESCUS EST"

domingo, novembro 23, 2008

Cotas, a forma mais odiosa de discriminação.

Nesta madrugada antes de dormir a última informação que li foi sobre o aumento de cotas para negros, pobres, índios e em breve, gays, em universidades públicas e escolas técnicas. Esse assunto ficou martelando na minha cabeça por alguns minutos e hoje logo que acordei o assunto me veio de novo à mente.
Fico indignado quando o poder público se utiliza da miséria intelectual em que algumas classes de brasileiros estão submetidas para fazer populismo travestido de política pública, dar cotas em universidades não resolve o problema básico da educação no Brasil, o ensino público sem qualidade nas escolas de ensino fundamental e médio, se essas escolas tivessem excelência de ensino a cota por si mesma não teria razão de existir, mas algum gênio da administração pública descobriu que os Brasileiros de classes menos favorecidas estão em desigualdade de condições na hora de tentarem um vestibular, então resolveram essa desigualdade da forma mais simples e estúpida que uma nação poderia assistir, em vez de melhorarem o ensino de base, dividiu o ensino superior em “guetos” beneficiando os menos favorecidos pela cor da pele e classe social e não pela capacidade e esforço. Agora a meritocracia foi jogada as favas e os negros e pobres serão os Doutores do futuro, mas esse conceito é caolho e obtuso, pois um cidadão não importa de que classe social, que faz uma faculdade "nas coxas" certamente será um profissional sofrível e o cidadão que tem uma base péssima de ensino, só que consegue entrar em uma universidade por causa da lei de cotas, quando se formar, se é que conseguirá êxito nessa empreitada, qual será a capacidade profissional dele?
Afinal ele se formou na base do "empurrão", e não por conhecimento ou esforço.
Quando ele for em busca de emprego no mercado de trabalho em desigualdade de condições intelectuais, "diploma não diz nada na hora do vamos ver", teria esse aluno melhores condições na briga por uma vaga na iniciativa privada por ser cotista?
Ou será que o governo irá baixar um decreto obrigando aos empresários contratarem alunos cotistas recém formados para suas empresas, e assim também estaria resolvido o problema do de emprego do "Dr. das cotas."
Temos que pensar grande, precisamos mudar o Brasil, mas para isso é necessário que se mude o ensino fundamental e médio e que se crie a consciência de cidadão no povo, mas a classe política não quer cidadãos, pois um cidadão pensa e cobra, e um povo, esse é prostrado não pensa, aceita tudo que é dado, não batalha pela vida, não tem vontade de crescer, afinal tudo que ele precisa o estado “dá”. Na minha maneira de enxergar o mundo, essas cotas são uma forma de “apartheid Tupiniquim, às avessas” uma discriminação que certamente levará ao embate de classes, estudantes de classe média que entrarem em universidades públicas por mérito, ficarão cada vez em menor número, e isso fatalmente acabará em algum tipo de confronto. Como a natureza nos deu condições e vocações diferentes, o que temos de fazer é lutar contra a natureza e fazer com que todos sejamos iguais, com a mesma inteligência, com o mesmo amor no coração, mas para que isso acontecer é necessário educação de qualidade e muito exercício de cidadania. Só que quando um povo se torna uma nação, os políticos oportunistas terão que arrumar emprego, e é isso a ultima coisa que um populista ou espertalhão quer na vida, trabalhar.

Recebi este texto de uma amiga e divido com vocês, meus parcos leitores.
Este texto guardado as proporções e realidades se encaixa como uma luva no Brasil.

Branco politicamente incorreto!...(bastante interessante)
O politicamente incorreto...muito bem.
Michael Richards conhecido como Kramer da série televisiva Seinfeld, levantou um bom problema. O que se segue é o seu discurso de defesa em tribunal depois de ter feito alguns comentários raciais na sua peça de comédia. Ele levanta alguns pontos muito interessantes. Orgulho em ser Branco Finalmente alguém diz isto.
Quantas pessoas estão atualmente prestando atenção a isto?
Existem Afro-Americanos, Americanos Hispânicos, Americanos Asiáticos, Americanos Árabes, etc.
E depois há os apenas Americanos.
Vocês passam por mim na rua e mostram arrogância. Chamam-me 'White boy,' 'Cracker,' 'Honkey,' 'Whitey,' 'Caveman' ...e está tudo bem.
Mas quando eu vos chamo Nigger, Kike, Towel head, Sand-nigger, Camel Jockey, Beaner, Gook, or Chink . Vocês chamam-me racista.
Quando vocês dizem que os Brancos cometem muita violência contra vocês, então porque razão os ghettos são os lugares mais perigosos para se viver?
Vocês têm o United Negro College Fund.
Vocês têm o Martin Luther King Day.
Vocês têm Black History Month.
Vocês têm o Cesar Chavez Day.
Vocês têm o Yom Hashoah.
Vocês têm o Ma'uled Al-Nabi.
Vocês têm o NAACP.
Vocês têm o BET [Black Entertainment Television] (tradução: Televisão de Entretenimento para pretos) Se nós tivéssemos o WET [White Entertainment Television] seriamos racistas.
Se nós tivéssemos o Dia do Orgulho Branco, vocês chamariam-nos racistas.
Se tivéssemos o mês da História Branca, éramos logo racistas.
Se tivéssemos alguma organização para ajudar apenas Brancos a andarem com a sua vida para frente, éramos logo racistas.
Existem actualmente a Hispanic Chamber of Commerce, a Black Chamber of Commerce e nós apenas temos a Chamber of Commerce. Quem paga por isto?
Uma mulher Branca não pode ser a Miss Black American, mas qualquer mulher de outra cor pode ser a Miss America.
Se nós tivéssemos bolsas direcionadas apenas para estudantes Brancos, éramos logo chamados de racistas.
Existem por todos os EUA cerca de 60 colégios para Negros. Se nós tivéssemos colégios para Brancos seria considerado um colégio racista.
Os pretos têm marchas pela sua raça e pelos seus direitos civis, como a Million Man March.
Se nós fizéssemos uma marcha pela nossa Raça e pelos nossos direitos seriamos logo apelidados de racistas.
Vocês têm orgulho em ser pretos, castanhos, amarelos ou laranja, e não têm medo de demonstrá-lo publicamente. Mas se nós dissermos que temos 'Orgulho Branco', vocês chamam-nos racistas.
Vocês roubam-nos, fazem-nos carjack, disparam sobre nós. Mas, quando um oficial da policia Branco dispara contra um preto de um gang ou pára um traficante de droga preto que era um fora-da-lei e um perigo para a sociedade, vocês chamam-no racista.
Eu tenho orgulho. Mas vocês chamam-me racista. Porque razão só os Brancos podem ser chamados de racistas?

O texto a seguir também faz parte do pacote, eu peguei no Blog da Adriana Vandoni

Para a posse do presidente estadunidense Barack Obama, a Comissão de Relações Exteriores da Câmara acaba de aprovar o envio de uma delegação de deputados, todos negros, para representar a casa, no evento que acontecerá em Washington (janeiro 2009). Sobre o assunto escreve Carlos Chagas: “Nos idos de 1961, Carlos Lacerda acirrava seu confronto com o então presidente Jânio Quadros. A motivação era em parte ideológica, por conta da política externa independente e do restabelecimento de relações diplomáticas do Brasil com a União Soviética, que o governador da Guanabara repudiava. Jânio, histriônico e marqueteiro excepcional, decidira ampliar o namoro com a África e nomeou um negro, seu oficial de gabinete, para embaixador em Gana. Foi quando Lacerda, numa de suas tiradas geniais, comentou na televisão estar vaga nossa embaixada na Suécia, indagando a seguir: "Será que o presidente vai nomear um lourinho?". Com todo o respeito, trata-se de um exagero. Nem o novo presidente americano se apresentou na campanha como candidato dos negros, contra os brancos, nem a sua excepcional votação deixou de ser majoritariamente branca. Perdeu a Câmara dos Deputados uma bela oportunidade de escolher a representação pelos méritos de seus delegados, não pela cor da pele. Se a moda pega, o grupo que comparecer à posse de um novo primeiro-ministro do Japão será composto apenas de deputados nisseis?”

Estamos a caminho de uma apartheid tupiniquim, alguém ainda tem alguma dúvida?

Será quem em 2014 o governo irá propor cotas para comprar ingressos dos jogos da Copa do Mundo?
Share/Bookmark

9 comentários:

Star disse...

Essas cotas são a melhor forma de manter uma população incapaz, obdiente e sem opinião própria, é o princípio do vamos mantê-los ignorantes o bastante para não perceberem que merecem uma formação e um país bem melhor que esse.

Anônimo disse...

Concordo plenamente.Tenho discutido essa discriminação aqui em casa.Essa não é a solução,Mais uma "empurroterapia".E cada dia mais, o branco está sendo discriminado.Não era para acabar com a discrimiunação que tudo isso começou?????

MARIA LÚCIA disse...

O comentário acima é meu.Nào sei o que aconteceu.Estou assinando.

Mariângela disse...

O governo acredita estar fazendo um bem para esse pessoal, mas na prática está apenas deixando-os mais estigmatizados, e até um negro ou um pobre que tenha talento ou que seja um gênio, terá mais doficuldades em provar que é bom profissional, esse pessoal irá para o mercado de trabalho estigmatizado, com a fama de cotista, ou seja, aquele que só tem o diploma pq o governo deu a vaga e não por merecimento.
Eu acredito que será muito mais frustrante para eles encararem a competição por um emprego.

Beto siqueira disse...

Uma comitiva só de representantes negros para a pose do Obama.
Agora vcs entendem o porque das cotas?
Tem muito deputado e senador que precisaria delas para conseguir se formar no ensino médio.
Eu queria saber quem foi o idiota que saiu com essa novidade de uma representação só de negros.
Esse povo está começando a se achar melhor do que os outros, e isso é que está complicando as relações sociais no Brasil.
Eu quero ver o que a sociedade vai falar sobre esse absurdo.
O racismo é um comportamento odioso, mas tem muito negro mais racista que branco, e as cotas, o dia da consciência negra, e agora essa comitiva, mostram o quanto as coisas estão caminhando para um terreno perigoso. Tem que se tomar cuidado com os excessos cometidos.

JC Ribeiro disse...

Todo movimento que resgate as raízes de um povo, ou uma raça é bem vindo, pois um povo sem memória é um povo sem cidadania.
O movimento de consciência negra é um avanço na história desse povo, mas que conciência é essa que aceita esse tipo de benefício em prejuízo de todos os outros cidadãos?
Ter consciência é saber cobrar dos governantes seus direitos e o dos outros, é respeitar o próximo, respeitar as leis e acima de tudo, saber quais são os deveres além de saberem apenas quais são os direitos.
Ter consciência não é ver o tal do Vicentinho passeando pelo congresso fantasiado de "negro Africano", como se isso mostrasse o real valor de uma raça.
Sou descendente de europeus, e não me visto como eles se vestiam ou ainda se vestem, apenas para "mostrar" o meu orgulho e minha raíz, o orgulho da raça está justamente nos avanços que ela consquista, e não nos benefícios que ela ganha, afinal da forma que está sendo conduzido esse assunto, a desigualdade não irá desaparecer.
Com isso, o ódio racial está sendo fomentado em proporções assustadoras, e logo no Brasil, o país onde todas as raças se confraternizam sem diferenças ou
mágoas.
Muita coisa precisa ser feita, mas dessa forma vai dar em confusão.

matheus JR. disse...

Nada contra as classes beneficiadas pelas cotas, mas isso está caminhando para um campo estranho, o valor do esforço é jogado para escanteio quando se compete com um cotista.
Então no Brasil será melhor ser pobre e "burro".
O esforço, o trabalho, a dedicação, até dos menos favorecidos que chegaram lá ficam em segundo plano. O que vale é, de onde sua família veio e o que vc é?
este país caminha a passos largos para o bueiro.

Silvana disse...

Esse asunto é muito polêmico, mas concordo com muita coisa que já foi dita, e principalmente no que se refere a escola pública sem qualidade. Não adianta dar cotas e não dar base, o aluno fatalmente não chegará ao final do curso.

Anônimo disse...

Em vez de dar cotas pq o governo não faz diferente, vai acompanhando as notas de todos os alunos da rede pública, e os melhores e mais estudiosos teriam pontos extras no vestibular, ou então teriam vagas garantidas por merecimento. Seria bem mais inteligente e exigiria muito mais rendimento dos alunos.